conjuntivite e verão - ponto de visão

Conjuntivite incomoda ainda mais no verão! Saiba como se proteger da doença

Saúde dos Olhos
20 dez
0
comentários

A famosa conjuntivite, que deixa os olhos vermelhos, coçando e produzindo uma secreção bastante chata é uma das mais comuns entre as complicações oculares.

Devemos dar destaque para a doença no fim e começo de ano, porque é justamente em épocas badaladas que ela se alastra mais facilmente. A doença é de fácil contágio, bastando um curto contato com direto ou indireto com alguém ou com alguma região contaminada.

Na estação mais quente do ano, com praias, piscinas e vários espaços públicos lotados sendo compartilhados, está na hora de se cuidar mais ainda. Com nossas dicas, isso não é tão difícil, quer ver?

Evitar compartilhamento

Calma, não estamos dizendo que você deve ser egoísta para não pegar conjuntivite. Acontece que a doença é “passada” através da troca de contato e secreções – por causa do suor o verão é uma estação propícia para o contágio.

Se alguém que possua o vírus ou bactéria enxugar seu rosto com uma toalha, por exemplo, ela não pode ser dividida com ninguém, já que o risco de contágio é muito grande.

Por isso, tanto em casa quanto em lugares que o compartilhamento é comum, procure ter seus próprios objetos e artigos: toalhas, copos, talheres, fronhas de travesseiro, maquiagem.

Lave as mãos com frequência

As mãos são os principais “veículos” do vírus da conjuntivite. Basta que alguém que esteja com a doença coce os olhos e esqueça de lavar as mãos e pronto, qualquer objeto que ela tocar em seguida pode ser um foco de contágio.

Tanto para quem estiver contagiado(a) quanto quem quer evitar o contágio, lavar as mãos com frequência é essencial para não levar o vírus aos olhos.

Evite aglomerações

Quanto mais pessoas, maiores chances de contágio. Isso porque, como sabemos, em lugares com aglomerações é menos comum que pessoas consigam ou até lembrem do ato de lavar as mãos e evitar as condições que levam os vírus às outras pessoas.

É claro que é impossível ficar distante de todos os lugares possíveis que tenham aglomerações. Por isso, lembre-se sempre de evitar levar as mãos aos olhos antes de lavá-las, especialmente nesses lugares.

Transportes públicos, shoppings, supermercados, restaurantes e lanchonetes são os locais mais comuns e próprios para contágio. No entanto, é claro que o próprio ambiente doméstico recebe o mesmo tipo de atenção.

Imunidade alta ajuda a proteger da conjuntivite

A doença é transmitida através de vírus ou bactéria, e não é sintoma de um organismo deficiente ou algo do tipo. No entanto, imunidade alta é uma ajuda importante para se proteger da conjuntivite.

O sucesso do agente transmissor da doença e sua permanência dependerá da capacidade do corpo em expulsá-lo. Por isso, imunidade baixa torna a pessoa mais suscetível ao contágio.

Tratamento

O tratamento para a conjuntivite é simples, mas exige paciência. Para aliviar os sintomas, é necessário fazer compressas com água filtrada ou soro fisiológico no(s) olho(s) contaminado, sempre com algum material descartável. A média de duração dos sintomas é de uma semana.

É contraindicado o uso de colírios, água boricada para as compressas, bem como o uso de materiais que não sejam descartáveis e que possam permitir contágio posterior. Não coçar o olho contaminado também faz parte do tratamento.

 

A maior preocupação da Ponto de Visão é com a saúde dos seus olhos. É por isso, que além de produtos de qualidade, também trazemos dicas e informações sobre como se manter longe das doenças oculares. Fique de olho em nosso blog e continue bem informado!

Com informações de IG.

Deixe seu comentário